18 de fevereiro de 2008

A dona dos segredos

A caixa de Pandora - Waterhouse
.
.
.
.
.
.
.
.
Eu de todo o amor sem fim. Enfim livre. Tão sua, sem nada que me pese.

Entregue como as boas notícias. Como o corpo a cova. Como quem ainda não nasceu. Em paz.

Eu gosto do seu medo. E do gosto que ele tem.

3 comentários:

Divinius disse...

Gostei de ler:)
Comenta o meu blog:)
A LUZ QUE TE DEIXO É DA COR DA MINHA VIDA:)

drinkmytearsasicry disse...

lindo lindo lindo.
quem dera eu derramasse tanta profundidade.

beijos.

drinkmytearsasicry disse...

vou pôs o link de vcs lá no meu.
e queria o meu aqui tb...

^^

beijos.